Pular para o conteúdo principal

Equipamentos e seus usos

Várias pessoas já vieram perguntar mas o que era necessário para praticar esportes de tração com seu cão e se tinha que comprar equipamentos diferentes no caso de praticar mais de um esporte. Segue abaixo os principais equipamentos e uma breve explicação de cada um deles. O mais importante é que seu cão utilize os equipamentos corretos e confortáveis, para que não prejudique a sua saúde.

ESCOLHER O EQUIPAMENTO CORRETO É O PRIMEIRO PASSO!

Arnês: É o peitoral apropriado para a pratica de esportes de tração. Abaixo a foto dos três principais tipos de arneses, há ainda modelos diferentes porém mais utilizados por profissionais que participam de competição, geralmente eles possuem uma pequena modificação para determinada raça, como eurohounds por exemplo. De acordo com vários mushers o importante é que seja resistente e confortável para o cão, a maioria dos arneses utilizados em cães de competição é o modelo comum (x-back) com um pouco mais estofado no peito.

Modelo X-Back: Utilizado para a prática de canicross, skijoring, bikejoring, tração de trenó, triciclo, scooter.


Arnês X-Back


Modelo Weight PullingArnês Weight pulling é utilizado para uma modalidade que consiste em o cão puxar determinadas cargas ao longo de um curto percurso em linha reta. É uma adaptação moderna do trabalho dos cães de tração e de trenó, em que os cães eram usados como animais de transporte de cargas.


Arnês Weight Pulling.


Arnês Canicross: Modelo utilizado para a pratica de canicross, a principal diferença é ser menor e ter a opção de ajustar. Algumas pessoas preferem esse arnês por ter a opção de ajuste e outras preferem o X-Back por garantir o conforto ao cão, pois não possui fivelas.





Arnês Canicross Ajustável


Veiculos 

Abaixo os principais veículos utilizados.

Trenó: Há diversos modelos esse é o mais simples e clássico, as diferenças mudam de acordo com a utilização, corridas, lazer, etc.



Triciclo (sentado): Utilizado onde não há neve, possui três rodas. Este modelo o condutor vai sentado e não é utilizado em competições. O triciclo da foto foi o primeiro feito pelo Anderson Costa e foi utilizado no Sled Day Brasil I e II.



Triciclo (em pé): Utilizado onde não há neve, possui três rodas se tornando mais leve, isso possibilita a utilização de um menor número de cães. Este modelo o condutor vai em pé e é usado em competições. 


Kart de um lugar: mais instável que o triciclo, recomendado a utilização a partir de quatro cães.

Kart de dois lugares: Mais pesado dificilmente utilizado em competições, recomendado para um número maior de cães.

Scooter: Patinete para ser utilizado em diversos terrenos, recomendado a utilização com no máximo dois cães.



Cintos: Utilizado para a pratica de canicross e skijoring.

Cinto de Canicross: A principal diferenças entre os modelos disponíveis é o material, bolsos e suporte para água.









Cinto de Skijoring: Possui cintas para prender nas pernas do condutor e manter o equipamento na posição correta, sem que suba na cintura. Este mesmo modelo de skijoring também é utilizado para a prática de canicross.







Acessórios: Veja abaixo alguns outros acessórios.

Este acessório é fixado na bicicleta e utilizado para práticar bikejoring.

Bikejoring Converter Nostro Pet.




Abaixo temos um exemplo de suporte que é preso no banco da bicicleta, este não é utilizado para tração apenas para passeios e corridas onde o cão vai acompanhando ao lado do condutor.



Sapatos: São usados para proteger as patas dos cães é feito de material resistente com sola emborrachada. Geralmente é utilizado na neve para cães que não possuem muita resistencia ao frio também é usado quando o solo pode conter algo que machuque as patas dos cães.


Guia com amortecedor: É usada para prática de canicross, mas também pode ser usada para bikejoring, passeios e até mesmo skijoring. Permite absorver o impacto tanto nas costas do condutor quanto no corpo do cachorro.
Existem dois modelos, um em que o amortecedor ou shock absorber é separado da guia, podendo ser utilizado individualmente e no outro modelo a guia é acoplada ao amortecedor, como no caso da guia shock line.





Coleira: É usada não apenas para a identificação do cão ou para atrelar um cão no outro em caso de corrida com dois cães. É colocada a coleira em ambos os cães, uma corda (neckline) é usada para unir os cães pela coleira, em breve postaremos mais informações sobre a formação dos cães.
Os modelos com forração em neoprene proporcionam maior conforto e evitam alergias ou lesões no cão.





Acessehttps://www.nostropet.com/ e conheça os acessórios ideais para iniciar a prática de Canicross com seu amigão.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SAIBA MAIS SOBRE A IMPORTÂNCIA DAS REGRAS E REGULAMENTOS PARA O CANICROSS E O BIKEJORING

Geralmente pensamos que as regras e os regulamentos servem apenas para quem pratica o esporte de forma oficial. De certa forma sim, porém, estas regras e regulamentos são criadas não só no intuito de organizar o esporte, mas também amparar e proteger a integridade dos atletas ou praticantes, sejam eles humanos ou cães. Neste artigo procurei destacar alguns pontos importantes no que diz respeito às regras e regulamentos para Canicross e Bikejoring que são estabelecidos e seguidos pela IFSS (Federação Internacional de Sleddog Sports), que detém o World Dryland Championships(abrangendo Canicross e Bikejoring) e a ECF (European Canicross Federation). A ideia é passar as informações relevantes ao praticante, seja para competição ou diversão, para que este possa usufruir dos benefícios do esporte de forma segura e correta. Não são todos os itens que precisam ser seguidos por quem pratica estes esportes como lazer e diversão, pois muitas das regras serão específicas para provas com

10 Dicas para quem vai treinar CANICROSS

A chegada do tempo bom incentiva o passeio com o cão e a  praticar algum esporte com ele.  Juntamente com o  agility , entre os esportes que mais tem atraído os aficionados por cães está o  canicross,  por isso, lhe damos dez conselhos para quando quiser praticá-lo. E lembre-se sempre que ESCOLHER O EQUIPAMENTO CORRETO É O PRIMEIRO PASSO! 1. Exame veterinário.  Verificar a saúde do cão é o primeiro passo necessário. 2. Começar a treinar.  É essencial que o cão vá gradualmente ganhando resistência aeróbica, para começar, pode-se dar um passeio de bicicleta por aproximadamente 20 minutos. 3. Educação técnica.  O cão deve conhecer as técnicas necessárias para participar de uma corrida, como as ultrapassagens, alongar a linha de forma constante, cruzar-se com outros cães, ordens direcionais, pedir-lhe que trote devagar etc, e é responsabilidade do guia que ele as aprenda corretamente. 4. Fortalecimento da musculatura  geral e do quarto traseiro, em particular, pa

A Origem do Canicross

Aiko veste Arnês X-Back Vermelho da Nostro Pet.  Foto: VG Photografia O Canicross  surgiu no Reino Unido na década de 1990. A ideia veio da necessidade de treinar os animais para puxar trenós. Para que o cachorro se acostumasse com a tração, o início do treino era feito com o animal atrelado ao condutor por meio de uma guia. Ao notar que isso era prazeroso tanto para o homem quanto para o cão, o Canicross virou esporte. Atualmente, a prática já é bem popular no continente europeu.  O primeiro campeonato  foi realizado em 2002 na província de Ravena, na Itália. No Brasil, entretanto, o esporte surgiu em meados de 2010. O Canicross, originalmente, é praticado em meio à natureza, em campos, montanhas e locais onde a natureza é predominante.  O equipamento adequado proporciona conforto ao cão. Foto: VG Photografia   Aqui no Brasil, temos inúmeros lugares e paisagens que podem ser aproveitados para iniciarmos este hábito maravilhoso que é o Canicross, seja pa