Pular para o conteúdo principal

CÃORIOSIDADES NOSTRO PET CANICROSS: CÃES PELO MUNDO - GRÉCIA ANTIGA

 


Grécia: o berço dos molossos

O cachorro mais célebre da Antiguidade aparece na Odisseia, escrita por Homero no século 9 a.C. Odisseu – ou Ulisses – está voltando a seu reino, a Ítaca, após 20 anos de batalhas e andanças. Seu palácio encontra-se ocupado por pretendentes que desejam a mão de sua esposa, Penélope. Ulisses, então, pede à deusa Atena que lhe dê a aparência de um mendigo – e entra disfarçado em casa. Nenhum humano o reconhece. Apenas seu cão, Argos, não se deixa enganar pela ilusão urdida por Atena.

O cachorro fora criado por Ulisses desde filhote. Depois que o mestre partiu para a Guerra de Troia, Argos aguardou fielmente o seu retorno. Todos os dias, deitava-se em frente ao estábulo e esperava o dono chegar. Agora, velho e cheio de pulgas, finalmente o vê entrar no pátio de casa. Levanta-se nas patas fracas e balança o rabo. Mas o rei de Ítaca, com medo de estragar seu disfarce, não retribui a saudação. Uma lágrima escorre pelo rosto de Ulisses.

Argos reconhece Ulisses. Desenho do século 17 de autoria de Theodor van Thulden

“Então”, escreve Homero, “Argos deitou-se e entrou na sombra da morte, pois havia cumprido seu destino de rever o dono após 20 anos de separação”. Não se sabe a raça de Argos, mas é provável que fosse um molosso – o cão favorito dos antigos gregos, surgido na região de Molóssia, entre as atuais Grécia e Albânia. Eram usados como pastores, caçadores e guardiões de casas.

Os molossos desapareceram no fim da Antiguidade e sua aparência também é incerta. Uma antiga escultura, hoje no Museu Britânico, em Londres, representa o molosso com uma cabeça de lobo. Alguns estudiosos, contudo, dizem que tinha o focinho largo e achatado; outros, que se parecia com um pit bull. Mas ninguém duvida de sua valentia: lutavam até com leões. Alexandre, o Grande, levou-os em sua campanha militar na Ásia para serem cães de guerra.

Os molossos eram os preferidos entre os gregos e podem ter dado origem a raças como fila brasileiro e mastim napolitano. (Mike Peel / British Museum/Creative Commons)


Filósofos e guardiões do inferno

O cinismo, uma filosofia criada por Diógenes de Sinope, buscava imitar o jeito despojado dos cães. Diógenes habitava um barril e vivia de esmolas. Daí o apelido de kynikos (cínico) – palavra que vem de kynos (cão). 

Diógenes de Sinope (412 a.C. – 321 a.C), discípulo de Antístenes


Os cães também figuravam na religião e na mitologia. Hécate, deusa das bruxas, andava com molossos negros. Já Ártemis, deusa da caça, tinha dois cães brancos – Sírio e Fócion. Ainda havia Cérbero, o cão de três cabeças que guardava a entrada do Hades – o mundo dos mortos.

Hércules e Cerberus (1636 - 1637):  Autor - Rubens, Peter Paul


Humanos e cães: amizade até depois da morte Publicado primeiro em https://super.abril.com.br/feed

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SAIBA MAIS SOBRE A IMPORTÂNCIA DAS REGRAS E REGULAMENTOS PARA O CANICROSS E O BIKEJORING

Geralmente pensamos que as regras e os regulamentos servem apenas para quem pratica o esporte de forma oficial. De certa forma sim, porém, estas regras e regulamentos são criadas não só no intuito de organizar o esporte, mas também amparar e proteger a integridade dos atletas ou praticantes, sejam eles humanos ou cães. Neste artigo procurei destacar alguns pontos importantes no que diz respeito às regras e regulamentos para Canicross e Bikejoring que são estabelecidos e seguidos pela IFSS (Federação Internacional de Sleddog Sports), que detém o World Dryland Championships(abrangendo Canicross e Bikejoring) e a ECF (European Canicross Federation). A ideia é passar as informações relevantes ao praticante, seja para competição ou diversão, para que este possa usufruir dos benefícios do esporte de forma segura e correta. Não são todos os itens que precisam ser seguidos por quem pratica estes esportes como lazer e diversão, pois muitas das regras serão específicas para provas com

10 Dicas para quem vai treinar CANICROSS

A chegada do tempo bom incentiva o passeio com o cão e a  praticar algum esporte com ele.  Juntamente com o  agility , entre os esportes que mais tem atraído os aficionados por cães está o  canicross,  por isso, lhe damos dez conselhos para quando quiser praticá-lo. E lembre-se sempre que ESCOLHER O EQUIPAMENTO CORRETO É O PRIMEIRO PASSO! 1. Exame veterinário.  Verificar a saúde do cão é o primeiro passo necessário. 2. Começar a treinar.  É essencial que o cão vá gradualmente ganhando resistência aeróbica, para começar, pode-se dar um passeio de bicicleta por aproximadamente 20 minutos. 3. Educação técnica.  O cão deve conhecer as técnicas necessárias para participar de uma corrida, como as ultrapassagens, alongar a linha de forma constante, cruzar-se com outros cães, ordens direcionais, pedir-lhe que trote devagar etc, e é responsabilidade do guia que ele as aprenda corretamente. 4. Fortalecimento da musculatura  geral e do quarto traseiro, em particular, pa

Canicross - Corra com seu cão

O que é Canicross? Canicross nada mais é do que uma corrida do tipo cross country (corrida em terreno irregular) com seu cão. O dono utiliza um cinto com uma guia elástica ou com amortecedor (shock absorver) que é atrelada ao peitoral do cão (arnês), pode ser praticado com um ou dois cães. Quem pode praticar o esporte? Todos podem praticar o esporte desde que tenham condições físicas, para isso consulte seu médico e um médico veterinário para saber se  ambos estão aptos. Cães de qualquer raça podem praticar o esporte desde que seja observado as particularidades de cada raça, crianças também podem participar desde que tenha condições de controlar o cão. Quais equipamentos são necessários? Nenhum equipamentos especial é obrigatório, mas existe equipamento próprio para a prática do esporte. Cinto de canicross: É um cinto utilizado pelo dono/condutor mantendo as mãos livres durante a prática do esporte. Arnês (modelo x-back): É um peitoral específico para tr