Pular para o conteúdo principal

As mudanças físicas das raças caninas no último século

Os cães são nossos inseparáveis amigos há milhares de anos e certamente mudaram bastante de aparência durante este período. Não temos como saber como eram há quase 10 mil anos na história, porém, podemos comparar os registros fotográficos de algumas raças há aproximadamente 1 século e os registros atuais, observando o quanto mudaram fisicamente.

Buldogue Inglês

O Buldogue ficou mais robusto: peitoral mais largo, patas mais curtas e grossas, focinho mais achatado. A pele ganhou mais dobras. Infelizmente, a maioria dos buldogues modernos tem problemas de saúde, e eles vivem cerca de 6 anos.

Basset Hound

O Basset Hound ficou muito mais ’baixinho’: suas patas traseiras são hoje mais curtas, enquanto as orelhas cresceram consideravelmente. O focinho também ficou mais curto e a pele agora tem mais dobras.

Boxer

Os cães desta raça atualmente têm focinho mais curto e elevado, além de alterações nas proporções do corpo.

Bull Terrier

Cães da raça Bull Terrier sofreram uma grande mudança no formato do crânio: o focinho ficou mais curto, enquanto a mandíbula aumentou. Em geral, hoje eles são mais ’baixinhos’ e robustos.

West Highland White Terrier

Este é um exemplo oposto. Talvez o que mais tenha mudado seja o pelo, que ficou mais comprido e mais grosso.

Doberman

Os Doberman ficaram menores, enquanto a cabeça ficou mais lisa. Além disso, a agressividade que caracterizava os primeiros representantes desta raça diminuiu consideravelmente.

Setter Irlandês

Esta raça quase não sofreu mudanças nos últimos 150 anos (a foto em preto e branco foi feita em 1879). Hoje, os Setter são um pouco mais magros e leves, com uma pelagem mais comprida e grossa.

Pastor Alemão

Esses ficaram maiores, com pelo mais comprido e grosso. O esqueleto deles também mudou: a parte traseira ficou mais baixa, e o peitoral, mais largo.

Rottweiler

O Rottweiler modernos são pretos com manchas marrons bem marcadas no focinho (nas bochechas e sob os olhos), na parte inferior do peito e nas extremidades. O pelo agora é um pouco mais duro. Geralmente, não se corta mais a cauda.

Saluki (cão real do Egito)

Os Saluki de hoje são mais altos e magros. Têm patas compridas e finas, e as orelhas são maiores.

Dachshund

Os ’cachorro salsicha’ ficaram mais compridos no corpo e no focinho. O peitoral é agora mais largo, enquanto as patas traseiras ficaram mais curtas.

Airedale Terrier

Esta raça quase não mudou, só ganhou uma pelagem mais ’fofinha’ e um focinho mais alargado.
Material depoznanie showwikipedia
Tradução e adaptação: Incrível.club

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Canicross - Corra com seu cão

O que é Canicross?
Canicross nada mais é do que uma corrida do tipo cross country (corrida em terreno irregular) com seu cão. O dono utiliza um cinto com uma guia elástica ou com amortecedor (shock absorver) que é atrelada ao peitoral do cão (arnês), pode ser praticado com um ou dois cães.
Quem pode praticar o esporte?
Todos podem praticar o esporte desde que tenham condições físicas, para isso consulte seu médico e um médico veterinário para saber se  ambos estão aptos. Cães de qualquer raça podem praticar o esporte desde que seja observado as particularidades de cada raça, crianças também podem participar desde que tenha condições de controlar o cão.

Quais equipamentos são necessários?
Nenhum equipamentos especial é obrigatório, mas existe equipamento próprio para a prática do esporte. Cinto de canicross: É um cinto utilizado pelo dono/condutor mantendo as mãos livres durante a prática do esporte. Arnês (modelo x-back): É um peitoral específico para tração, que se estende por todo o corpo …

10 Dicas para quem vai treinar CANICROSS

A chegada do tempo bom incentiva o passeio com o cão e a praticar algum esporte com ele. Juntamente com o agility, entre os esportes que mais tem atraído os aficionados por cães está o canicross, por isso, lhe damos dez conselhos para quando quiser praticá-lo. E lembre-se sempre que ESCOLHER O EQUIPAMENTO CORRETO É O PRIMEIRO PASSO!


1. Exame veterinário. Verificar a saúde do cão é o primeiro passo necessário.

2. Começar a treinar. É essencial que o cão vá gradualmente ganhando resistência aeróbica, para começar, pode-se dar um passeio de bicicleta por aproximadamente 20 minutos.



3. Educação técnica. O cão deve conhecer as técnicas necessárias para participar de uma corrida, como as ultrapassagens, alongar a linha de forma constante, cruzar-se com outros cães, ordens direcionais, pedir-lhe que trote devagar etc, e é responsabilidade do guia que ele as aprenda corretamente.

4. Fortalecimento da musculatura geral e do quarto traseiro, em particular, para isso, se torna muito eficaz praticar…

SAIBA MAIS SOBRE A IMPORTÂNCIA DAS REGRAS E REGULAMENTOS PARA O CANICROSS E O BIKEJORING

Geralmente pensamos que as regras e os regulamentos servem apenas para quem pratica o esporte de forma oficial. De certa forma sim, porém, estas regras e regulamentos são criadas não só no intuito de organizar o esporte, mas também amparar e proteger a integridade dos atletas ou praticantes, sejam eles humanos ou cães. Neste artigo procurei destacar alguns pontos importantes no que diz respeito às regras e regulamentos para Canicross e Bikejoring que são estabelecidos e seguidos pela IFSS (Federação Internacional de Sleddog Sports), que detém o World Dryland Championships(abrangendo Canicross e Bikejoring) e a ECF (European Canicross Federation).
A ideia é passar as informações relevantes ao praticante, seja para competição ou diversão, para que este possa usufruir dos benefícios do esporte de forma segura e correta. Não são todos os itens que precisam ser seguidos por quem pratica estes esportes como lazer e diversão, pois muitas das regras serão específicas para provas com grandes quan…